NEXT CONQUEROR

o blog do Davi Jr.

RESENHA: Yu Yu Hakusho, o Torneio das Trevas

Ação, lutas, batalhas, porrada! Essa é a definição mais simples que um mangá shonen pode ganhar, principalmente no ocidente. Clássicos dos ano 80 se tornaram clássicos por se utilizarem dessa premissa para criar uma história envolvente e cativante. Nos anos 90, durante a saga do Torneio das Trevas, Yu Yu Hakusho mostrou o que faltava nos mangás da época.

NÃO CONHECI O OUTRO MUNDO POR QUERER

Enquanto escrevia os arcos bem definidos da batizada saga do Detetive Espiritual pelos fãs (leia a resenha aqui), Yoshihiro Togashi teve tempo de sobra para desenvolver um início de uma história épica, mas que ainda faltava um atrativo para se tornar tal.

Se o enredo e os protagonistas desenvolvidos pelo autor eram perfeitos, faltava algo que marcasse para sempre a vida do fã enquanto fã para que mais que admirada a obra fosse cultuada. E tal elemento veio sob o pano de fundo de um dos elementos mais básicos de uma história shonen: um torneio.

Mas não só um torneio, este é o Torneio das Trevas, a competição realizada regularmente por humanos ganânciosos para lucrar com o massacre de monstros youkais que conseguem invadir a Terra. Um torneio que o Mundo Espiritual até poderia evitar, mas como o próprio Koenma disse, “é melhor deixar os monstros se matarem num torneio do que privá-los de diversão e deixá-los atacar humanos”.

Yukina, a irmã de Hiei, fica muito grata pela coragem de Kwabara!

Não pareceu convincente? Pois bem, não basta um torneio, precisa-se de alguém que se queira vencer. E é nesse ponto que entra o maior vilão que a história teve: Toguro!

EU TÔ MAIS QUEBRADO QUE ARROZ DE TERCEIRA!

Começando com o que parecia ser apenas mais um arco da sistemática criada por Togashi, onde se aparece um ou mais vilões para os protagonistas enfrentarem e desenvolverem seus poderes, Toguro surgiu como capaganga de um apostador milionário que sequestrou Yukina, a irmã mais nova de Hiei, mas logo após ser vencido por Yusuke e Kwabara, mostrou-se um habilidoso lutador que fingiu ser derrotado para atender aos desejos de Sakyo, um empresário que financia suas lutas.

Se a saga havia sido planejada assim desde o início, é algo que pode-se até se contestar, mas é fato que esse rola e enrola qu Togashi criou para apresentar a personagem Yukina surtiu um importante efeito durante toda a sequência da história, mostrando o que mais caracterizaria o anime dali pra frente: ser um anime de luta.

É incontestável que Yu Yu Hakusho tem um contexto muito criativo e lúdico ao imaginário japonês, sem contar personagens tão cativantes que deixa todo fã de cabelo em pé ao querer ordenar seus favoritos, tamanha a persuasão, que a personalidade de cada personagem consegue criar dentro do seu papel da história para o leitor, em sua grande maioria, aliás, desenvolvida na saga do Torneio das Trevas.

Hiei e Kurama tem seus passados revelados e sua personalidade mais aproximada do espectador.

Mas depois de assistir a cada um dos arcos isoladamente ou mesmo a história toda, não há elemento mais fortemente impactante dentro da história do que a maneira dinâmica e criativa como Yoshihiro Togashi consegue contar cada uma das lutas do anime.

E a força que Yusuke, Kwabara, Hiei e Kurama tem que exercer para que a história continue interessante precisa ser forte o suficiente para a atração do leitor, fazendo da personalidade de cada um algo muito mais importante que o próprio contexto da história ou os caminhos que os levaram as lutas.

AH! EU TÔ TOGURO!

Mesmo fazendo do Torneio um saga, a maneira didática com que o autor do mangá segue com a narrativa e o estúdio Pierrot segue muito bem no anime. Cada fase do torneio se assistido isoladamente acaba criando um arco próprio com história com começo meio e fim.

Se a luta com Tiyu seriu para reapresentar a atual condição dos lutadores, as lutas com o Time Dr. Ichigaki e com o Time Mashoutsukai criaram uma experiência única em toda a história, deixando para Time Uraotogi a função de segurar a história enquanto Yusuke recebia o poder máximo de Genkai, sua mestra e ponto chave dentro da hitória de Toguro, o Leiko Hadouken.

E é chegada depois de mais de 30 episódios o momento mais esperad pelo fãs, a luta contra Toguro, o vilão que conseguiu, mesmo malvado, trazer a identificação do público com sua densa e dramatica história do passado.

O presente abre as feridas do passado de Tokuro e Genkai!

Toguro era um lutador muito experiente que não tinha medo de enfrentar nenhuma batalha. Tornou-se um Mestre de lutas e possuía vários discípulos. Era amigo da jovem Genkai, que se apaixonou por ele. Ele é convidado por um youkai a participar do Torneio das Trevas, e ao chegar encontra seus discípulos retalhados e assassinados por este youkai. O youkai não somente assassinou seus discipulos como também utlizou as famosas palavras dos patrocinadores do torneio para trazer Yusuke para a arena: “Você está convidado a participar do Torneio das Trevas. Se não aceitar, morre!”.

A luta do Time Urameshi contra o Time Toguro rendeu o grande apogeu de toda a história de Yu Yu Hakusho e seu final surpreendente ainda trouxe várias surpresas de muitos personagens.

FOI BOM VOCÊ SER UM CANALHA… PODEREI SER CRUEL SEM NENHUMA CERIMÔNIA

Bater, bater, bater. Socar, socar, socar. Não é só disso que vive um anime de luta. A saga do Torneio das Trevas, além de amadurecer os personagens, contar passados e criar verdadeiros combates clássicos de toda a história dos mangás, foi a fase em que Yusuke e os outros protagonistas puderam mostrar para que vieram e para que foi criada tal história.

E mesmo numa época em que se arriscar a escrever algo de luta parecia ser uma volta ao estilo anos 80 de fazer mangás, Yu Yu Hakusho mostrou que um clássico, mesmo de luta precisa de muitos diferenciais para sobreviver ao tempo, mesmo quando o o seu diferencial parece ser o que todos os outros tem de igual.

Yusuke s. Toguro: uma das maiores lutas que a história dos animes já viu!

Anúncios

3 Respostas para “RESENHA: Yu Yu Hakusho, o Torneio das Trevas

  1. Pingback: RESENHA: Level E « NEXT CONQUEROR

  2. Pingback: RESENHA: Hunter x Hunter, o Leilão de Yorkshin « NEXT CONQUEROR

  3. flavia maio 23, 2015 às 9:33 pm

    Boa resenha. Realmente a saga do torneio das trevas é o ápice de YYh, e a luta de yusuke contra toguro é, na minha opinião, a melhor luta de anime shonen de todos os tempos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: