NEXT CONQUEROR

o blog do Davi Jr.

REVIEW: Anime Friends 2011 – dia 17

Local: Rua Chico Pontes, 1500, Vila Guilherme, São Paulo – SP
Quando: Dias 08, 09, 10, 14, 15, 16 e 17 de julho.
Preços: Entrada entre R$20,00 e R$35,00 por dia.

De vez em quando vem a pergunta na cabeça de um fã de anime: porque que será que as diferenças culturais entre Brasil e Japão fazem com que o otaku brasileiro use seu hooby para se socializar e o otaku japonês para se isolar? Indepentende da antropologia, psicologia comportamental e sociologia envolvida na resposta, é fato que um evento de anime de qualidade em terra tupiniquins precisa passar toda essa sincronia de ideias, amizades e integração dos visitantes para que possa ser mais parecido com o otaku brasileiro que com um otaku japonês. Felizmente, apesar dos deslizes do primeiro fim de semana, o Anime Friends 2011 mostrou, assim como deve ser, porque é o maior evento de cultura pop do Brasil no último dia de evento.

Assim como no ano anterior e como em todos os anos desde a sua primeira edição, o último domingo é conhecido por ser o dia que mais recebe visitantes. Nesse último domingo, o público esperado era de mais 35 mil pessoas, número que provavelmente foi atingido com folga.

Logo na entrada principal, era possível observar filas que dobravam a esquina, mesmo com ingresso antecipado. Na entrada de caravanas, o número de ônibus que não paravam de chegar era enorme, trazendo fãs dos mais variados pontos do Brasil. Mesmo a maioria do público sendo de São Paulo e do interior paulista, não era dificil encontrar pessoas do Rio de Janeiro, Minas Gerais, do sul e do nordeste do país e mesmo estrangeiros (como Argentinos e Uruguaios) dentro do evento.

Logo na fila de entrada já era possível encontrar seus personagens favoritos.

Se a principal reclamação dos fã para com a organização do evento nos últimos anos foi o espaço destinado para circulação nos últimos eventos, dessa vez os visitantes não tiveram com o que reclamar. Parecido com o que aconteceu na edição de 2010, o evento estava nitidamente cheio, porém com as pessoas muito bem distribuídas nos galpões de atrações e nos corredores do Mart Center.

Aliás, a cada ano que passa o Mart Center se mostra capaz de abrigar o evento, com uma área grande sendo utilizada pela Yamato, o local se mostra essencial para o bom funcionamento do evento. Porém nem tudo são ouros, apesar da organização do evento não ter utilizado um galpão que estava em demolição no anos anteriores (uma decisão mais do que acertada), muitas partes do Mart Center precisam de um tratamento e uma reforma.  Muitos corredores estão mal-tratados, mal pintados, acumulam água facilmente, parecem deteriorados e em algumas vezes abandonados.

Mesmo sem a utiliação do antigo prédio da praça de alimentação, a grandiosidade do Anime Friends precisa de um local de realização de acordo com o seu porte. E não é uma questão de espaço ou estrutura (pois como já foi falado, o Mart Center abrigou perfeitamente a todos os visitantes), mas sim de ambiente. Imagine um estrangeiro chegando para o maior evento de anime e mangá das Américas e encontrar galpões que mais parecem depósitos de carga de trem. Isso desanima o visitante e faz o evento perder o prestígio que tem.

O mais saudável seria que o Mart Center passasse por uma reforma geral, preservando a estrutura que tem e restaurando paredes, prédios e demais instalações para melhorar abrigar as empresas que a ela solicitam espaço para a realização de seus eventos. Isso não sendo possível, não seria má idéia a Yamato Eventos pensar num outro  local para a realização de seus eventos, afinal em 2012 o evento completará 10 anos e por isso, a quantidade de visitantes só tende a ser muito superior a dos últimos anos.

Neste ano o palco Animekê ficou junto dos estandes de produtos.

Do primeiro para o segundo fim de semana (veja aqui) o evento não passou por nenhuma mudança muito drástica em se tratando das localizações das atrações. O palco Animekê continuou junto do estandes de produtos, o palco cosplay e a área de fanzines continuou junto (apenas) do estande da Comix e da NewPop, a área de grande empresas continuou dando um baile em todas as outras áreas, tamanha a qualidade dos estandes da Level-Up, Panini, Copag e Mundo Saga e a área de salas temáticas (quase fora da edição desse evento) foi a grande responsável pela troca de conhecimentos e conversas entre os fãs dos mais diversos segmentos de cultura pop.

É quando se vai analisar área por área do evento é que se nota as carências que o Mart Center tem. Enquanto que a área de grandes empresas foram praticamente revestidas com a alta produção de estandes (repetindo pela terceira vez: destaque total para a Level-Up), a área do palco cosplay estava desolado, com pouquíssimos estandes, muita área lívre e paredes que davam a já comentada impressão de depósito de carga.

A área do palco cosplay foi a mais afetada, um espaço tão grande como esse poderia ter sido preenchida por uma grandiosa produção de diversas empresas que faltaram ao evento. Playarte, Gaming, JBC, Conrad Editora entre tantas outras figurinhas carimbadas do universo Otaku não estiveram presentes. Pior que a falta dessas empresas foi o que a Focus Filmes fez: mesmo tendo seu nome vinculado em todas as peças publicitárias do evento (físico e digital), a empresa não montou sequer um estande para divulgar/vender seus produtos, que concenhamos, é o mais númeroso em termos de segmentos de publico deste segmento.

Assim como no fim-de-semana anterior, faltaram um número mais considerável de palestras e workshops com profissionais da área dos diversos nichos que envolvem o evento. Essa falta se deu principalmente pela falta das três áreas temáticos do ano passado (clique aqui para conhecer como foi no ano passado).

A mudança mais significativa do último fim-de-semana para este foi a da, ainda não citada, área do Press Start. Com a adição de carros tunados e uma decoração que seprava “gestalticamente‘ os games, os carros e a área medieval. Apesar de melhor utilizado, aquele galpão ainda trouxe saudades do Asian Fest acontedcido no ano anterior do evento e a falta de suas atrações fizeram falta.

Para finalizar as áreas, a praça de alimentação em estilo “feirinha” (onde as barracas ficavam praticamente coladas umas com as outras), ficou bonita alocada onde foi, mas a quantidade de pessoas que circulavam no evento, somado que o corredor da área era um dos principais acessos até o palco principal, a deixou desagradável de se andar e comer as delícias da culinária japonesa, chinesa que estavam disponíveis para serem consumidas.

Esse estilo “feirinha” poderia continuar nos próximos eventos, já que dá um clima interessante para os fanáticos por cultura japonesa, mas seria interessante que os corredores fossem maiores e as mesas e bancos mais numerosos.

O Entei entrou na Masterbola, já tá tudo bem agora.

Apesar dos problemas de alocação ja mostrados, esses detalhes foram pequenos se comparado a grandiosidade que foi o evento no último dia 17. Até o sol pareceu colaborar: mesmo num mês de julho precedido pelo mês de junho mais frio dos últimos anos, o último dia do Anime Friends 2011 foi banhado por muito sol, a uma temperatura agradável e com um céu azul claro sem nuvens que dava gosto de se ver.

A quantidade de visitantes é totalmente proporcional a quantidade de cosplayers dentro do evento, por isso a quantidade de heróis, heroinas, monstros e vilões circulando pelo evento era gigantesca. Era virar  para um lado e dar e cara com um Devimon enfrentando um Wargreymon virar do outro e se deparar com a versão 2.0 do Chapolin Colorado. A criatividade no evento estava absurda, com cosplayers fazendo referências tanto aos animes mais clássicos quanto as adequações mais bizarras a filmes, quadrinhos e músicas.

Outro ponto a ser notado foi a quantidade de público ocasional presente no evento. Fãs hardcore de diversos estilos musicais bem como descendentes japoneses (ambos não necessariamente fãs de cultura pop japonesa) eram um público um público que estavam crescendo nos eventos da Yamato nos últimos anos. Provavelmente a alta no preço do último fim-de-semana, o mais caro já cobrado, foi  responsável por levar esse público ocasional, interessante do ponto de vista comercial, para os outros dias do evento.

Todas as atrações propostas (vendas em estandes, campeonatos, atrações nas salas temáticas, apresentações de bandas, teatros cosplay e animekê) foram muito bem realizadas e dentro do prazo previsto, um ponto de ouro para a Yamato Evento, já que no último dia as atrações sempre tendem a atrasar devido a quantidade de pessoas  no evento.

Uma oportunidade de ouro: fãs se encontram com seus ídolos.

Outra característica marcante do último dia é apresentação do Super Friends Spirits, um show internacional estrelando os cantores japoneses dos temas de animesongs e tokusongs mais badalados. O review do show apenas será postado amanhã, mas uma atração marcante relacionada ao show aconteceu por volta das 16h na sala Tokusatsu da área de salas temáticas.

Para a surpresa de todos os visitantes, foi realizada uma tarde de autografos com os cantores que iam se apresentar naquele dia durante o Super Friends Spirits. A tarde de autógrafos sempre aconteceu em eventos anteriores mas a muito tempo não aconteia no último dia do evento.

Com um número máximo de 200 pessoas, os fãs de Nobuo Yamada, cantor de Pegasus Fantasy e Takayoshi Tanimoto, intérprete das canções de Dragon Ball Kai, puderam tirar fotos, pegar autógrafos e trocar algumas palavras com seus ídolos mais queridos.

Os fãs da banda JAM Project ainda ganharam um “plus”: Ricardo Cruz, cantor brasileiro membro da banda japonesa citada estava presente na sala de autógrafos (ele é o tradutor dos artistas do Super Friends Spirits) e, sempre muito carismático, tirou fotos e bateu papos com todos que lhe solicitaram.

Eu todo feliz ao lado de Nobuo Yamada (à esquerda) e Takayoshi Tanimoto (à direita).

Ricardo Cruz é o cara! Merece seu lugar no JAM Project.

Para os fãs de animesongs o último dia do Anime Friends foi cheio de surpresas e grandes realizações, seja pela tarde autógrafos, pelo grande show da banda Animadness ou pelo Super Friends Spirits (tema do próximo post). Para os fãs de animes, mangás e games as atrações surpreenderam, todas em grande quantidade e muito bem realizadas. Os cosplayers, o dia de Sol, as apresentações e tudo mais conspirou para que o Anime Friends 2011 aproxima-se todos os fãs de animação que visitaram ao evento, seja lá qual for o segmento que mais gosta.

Em mais um ano, o Anime Friends conseguiu superar o seu ano anterior e fez justiça a sua alcunha de maior evento de anime e mangá das Américas.

Anúncios

2 Respostas para “REVIEW: Anime Friends 2011 – dia 17

  1. Pingback: REVIEW: Super Friends Spirits 2011 – dia 17 « NEXT CONQUEROR

  2. Eduardo Yugo Ogura julho 25, 2015 às 12:11 am

    Na foto, Fila de autografo de Yamada e Tanimoto. sou eu!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: